Luiz Carlos de Sousa

academico
Acadêmico

Nascimento: 31/01/1946
Naturalidade: Florianópolis – Santa Catarina
E-mailEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Título: Escritor
Cadeira: 01
Posse: 01/06/2017

José Honório da Costa

patrono
Patrono
1856 - 20/05/1939

Veja também

Biografia

Luiz Carlos de Sousa nasceu no município de Florianópolis em 31 de janeiro de 1946, onde viveu até os 18 anos. Em 1964 foi servir ao Exército para voltar anos mais tarde. Em 1971, em razão da profissão, interrompeu o curso de Odontologia em Curitiba e, em 1975, voltou para sua terra natal a fim de retomar seus estudos. Contudo, cursou e concluiu a graduação de Administração de Empresas na Escola Superior de Administração e Gerência em 1981. Pela Faculdade Dom Bosco, de Cascavel, em 2013, concluiu a especialização lato sensu em Administração Pública, defendendo o Artigo Científico “Partilha do ICMS: a inconveniência do cálculo do valor adicionado na partilha do imposto para os municípios catarinenses”, duas vezes premiado após submetido aos pares através de concursos públicos. Cultiva a prática da escrita desde a infância, quando já redigia cartas para quem não o sabia, aí incluída sua mãe. Escreve contos, romances e crônicas. Alguns dos seus trabalhos participaram de coletâneas e antologias de prêmios literários. Publicou, durante um ano, seus textos nos jornais Primeira Folha, O Caranguejo e Palavra Palhocense, todos da cidade de Palhoça. Seu primeiro livro, “Alquimia do bem”, foi publicado em 2016 pela Editora Perito e está na segunda edição. Tem um segundo livro, “Um céu para Josima e outros contos”, que foi publicado pela Editora Juca Palha em novembro de 2020 na Academia de Letras de Palhoça. Seu terceiro livro de contos, “Memórias de um colar” (título provisório), aguarda um alinhamento adequado para ser publicado. Atualmente, produz quatro novelas, cujos títulos provisórios, “Tunai: O Espírito da Vingança”, “O Tesouro dos Xoklengs”, “Estranho Amor” e “Esquadrão Jeopardy”, somar-se-ão à quinta novela provisoriamente intitulada “A Condessa Èmeraud”. Ocupa provisoriamente a cadeira nº 1 da Academia de Letras de Palhoça, cujo patrono é José Honório da Costa, cofundador de Palhoça. Com residência neste município, está aposentado na função pública de Auditor Fiscal da Receita Estadual. Casado com Maria Sueli Sprícigo de Sousa, possui dois filhos. Seu primeiro romance lido foi “O Gaúcho”, de José de Alencar. Na televisão prefere as entrevistas e ensaios sobre temas científicos, literários e educacionais. Sua lista de autores inclui Ana Elisa Ribeiro, Antero de Quental, Clarice Lispector, Dalton Jérson Trevisan, Eglê Malheiros Miguel, Gonçalves Dias, João da Cruz e Sousa, José de Alencar, Luís de Camões, Machado de Assis, Mário Prata e Nelson Falcão Rodrigues. Seu principal lazer é a leitura e sua frase lapidar "Os homens em nenhuma coisa mostram mais o intrínseco de seus pensamentos que no que escrevem." (Damião de Góis, historiador e humanista português, 1502-1574).


Imprimir